RESOLUÇÃO:

Plano de ação do PT Paulista:

 

1) O PT Paulista entende que nossa prioridade para o próximo período será a mobilização dos filiados, simpatizantes, parlamentares, dirigentes, militantes dos movimentos populares, sindicalistas, alunos e professores das universidades, setores da sociedade afetados pelas políticas sociais e econômicas ultraliberais, na defesa dos direitos sociais políticos e econômicos do povo brasileiro, na defesa da Soberania, do patrimônio público e da Democracia, no combate a toda forma de violência ou estímulo à ela que já se prenunciam nas primeiras medidas dos governos Bolsonaro e Dória.

 

2) O PT Paulista cerrará fileiras com os movimentos populares, setoriais e sindicais, mobilizando e fazendo campanha contra a Reforma da Previdência que prejudicará os mais pobres, pela revogação da Reforma Trabalhista, contra a privataria selvagem das empresas públicas e na defesa de medidas que levem à geração de empregos e recuperação da renda dos brasileiros.

 

3) O reestabelecimento da estabilidade institucional e a preservação do Estado Democrático de Direito também terá foco central na atuação do PT, para garantir os direitos políticos de quaisquer cidadãos, no combate à medidas arbitrárias dos governos, dos direitos das minorias e dos pobres, denunciando atos de imparcialidade de setores do ministério público e Judiciário. A Luta para garantir os direitos políticos e de cidadania do Presidente Lula e pela sua liberdade dentro da Campanha Nacional e Internacional Lula Livre terá centralidade.

 

4) Estabeleceremos um novo diálogo com os setores progressistas da sociedade paulista e nos esforçaremos para organizar e fortalecer as ações do PT no Estado.

 

5) O cumprimento desses objetivos no próximo período a partir da força política e social do PT contribuirão em muito para assegurar a resistência contra os retrocessos e na construção de um novo ciclo de mobilizações, organização popular e consciência política e social que levarão à uma mudança na correlação de forças hoje desfavoráveis aos setores progressistas e de esquerda no Estado.

 

Dentro dessa perspectiva, o PT Paulista atuará para:

 

6) Estabelecer um amplo diálogo com os partidos de esquerda como o PSOL, PCdoB, PDT e PCO, setores progressistas do PSB, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, Artistas e profissionais liberais, intelectuais e setores progressistas das universidades, sindicalistas, ambientalistas, organizações da juventude, organizações sociais das periferias e do interior, na direção de compormos uma FRENTE PELA DEMOCRACIA com o objetivo de mobilizar, denunciar e promover ações institucionais e jurídicas na defesa das liberdades democráticas e dos direitos de cidadania. O PT participará também de outras iniciativas que possam surgir da sociedade civil e dos partidos do campo democrático e popular.

7) Participar ativamente da organização, mobilização e ações institucionais contra a Reforma da Previdência e contra o desmonte das políticas sociais junto com as entidades e Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Proporemos uma agenda comum com prioridade para o tema da reforma da previdência. O PT de São Paulo orienta seus militantes, dirigentes e parlamentares a atenderem o chamado das entidades sindicais e reforçarem a organização de assembleias de base, por categorias e apoio na Greve dos servidores municipais da Capital que se inicia neste dia 04/02 e a participação ativa na Plenária dos sindicalistas chamada pela CUT e todas as outras centrais sindicais.

8) Chamar todos os militantes e dirigentes dos diretórios municipais para que, juntos  com a Secretaria Estadual de Mulheres, secretarias municipais de mulheres e entidades das mulheres para a mobilização para o 8 de Março – Dia Internacional de Lutas das Mulheres – propondo que o ato seja contra a reforma da previdência, pela revogação da reforma trabalhista que penaliza mais as mulheres trabalhadoras, contra o desmonte de políticas sociais como a diminuição de mais de 380 mil famílias do  Bolsa Família e ações autoritárias e também focado na luta contra a violência contra a mulher.

9) Propor às centrais sindicais para que o Ato do dia 1º de Maio seja unitário das centrais sindicais, partidos políticos e movimentos sociais em defesa dos direitos dos trabalhadores.

10) Propor à sua Bancada Estadual a formação de um BLOCO PARLAMENTAR composto de representantes das bancadas dos partidos progressitas e de oposição, de sindicalistas  e de movimentos sociais, com objetivo de acompanhar e lutar no âmbito da Assembleia Legislativa contra medidas que tenham o caráter de retirar direitos e precarizar ainda mais as políticas sociais, como por exemplo, a restrição da liberdade de manifestações, confisco e restrição de direitos dos servidores públicos, privatização dos bens públicos com escolas e universidades entre outras. 

11) Participar ativamente das atividades previstas pela Direção Nacional na CAMPANHA LULA LIVRE, recomendando aos diretórios municipais que ativem os comitês Lula Livre locais com o objetivo de denunciar as arbitrariedades cometidas contra Lula, promover campanhas de esclarecimento junto à população, defesa do legado dos governos Lula e Dilma e da própria imagem pública do nosso partido. O PT de São Paulo vai propor ao Diretório Nacional o lançamento de uma campanha de arrecadação financeira através da internet para garantir as atividades da campanha Lula Livre bem como a manutenção das caravanas de São Paulo para Curitiba. Vai construir uma Coordenação da campanha com membros da Comissão Executiva, do Diretório e da Bancada para coordenar esses trabalhos.

12) Participar da organização e mobilização do ato do dia 7 de abril, quando completará 1 ano da prisão política do Presidente Lula.

13) Trabalhará para a construção de uma REDE DE SOLIDARIEDADE para proteção e apoio jurídico aos movimentos populares, através dos Setorial Jurídico e Secretarias de Mulheres, LGBT, Cultura e Combate ao Racismo, articulados com os advogados das nossas bancadas e dos mandatos parlamentares, dos sindicatos e dos movimentos populares e mesmo voluntários.

14) Trabalhará junto com a Secretaria Estadual de Comunicação, para construir uma REDE DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO, articulando as mídias alternativas, as assessorias parlamentares e dos sindicatos, iniciativa esta que surgiu durante a última campanha eleitoral.

15) Manutenção do site do PT estadual com notícias das lutas, macros, setoriais, agendas  e informações e artigos, para os militantes e filiados continuarem com um canal de comunicação com o Diretório. Os desafios para enfrentar a conjuntura adversa são enormes e nossas dificuldades de organização e financeiras também, mas o PT Paulista olha esse momento como uma oportunidade de reorganizar o Partido em todo o Estado para voltar a fortalecê-lo na relação com a sociedade, de forma que ele seja oxigenado nas relações e renovado em seus quadros militantes e dirigentes. A conjuntura adversa e a nova disputa política requer um PT reorganizado, com capilaridade social e territorial e com vigor para enfrentá-la e superá-la. Assim, trabalhará para desenvolver as seguintes ações:

16) Participar da Festa dos 39 anos do PT e orienta os diretórios e macros que não tenham condições de se deslocarem para a Capital para que se esforcem para organizar atos ou atividades locais.

17)Lançar CAMPANHA DE FILIAÇÃO, priorizando a juventude e setores democráticos que se opuseram ao Golpe e que se mobilizaram no 2º turno da Campanha de Haddad. A Campanha se desenvolverá nos seguintes termos:

Defesa do legado do PT e de seus governos como o “Faça Parte do Time que mudou o Brasil e defende os trabalhadores”;

 

  • Homenagens a filiados do Partido com amplo reconhecimento social como, por exemplo, Paulo Freire, Florestam Fernandes, Chico Mendes, Maria da Penha, Perseu Abramo e tantos outros, reforçando o compromisso do PT com a agenda que essas figuras defendiam, com um “Faça parte do Time que sempre defendeu o povo brasileiro”;
  •  Defesa de um futuro melhor para o Brasil, com democracia, distribuição de renda, justiça social e defesa do meio ambiente do tipo “Juntos vamos construir um Brasil melhor”.

 

18) Organizar uma FORÇA TAREFA, coordenada pelas Secretarias de Organização, Geral e de Finanças, com apoio das Secretarias do Interior, da Grande São Paulo e dos Movimentos Sociais e Setoriais, dos coordenadores de Macro e da nossa Bancada Estadual, com o objetivo de reorganizar o Partido na maior parte possível dos municípios do Estado visando:

 Estudar e rever as atuais regiões das macros; 

  • Definir uma agenda política para as macros e diretórios constituídos, buscando articular as lutas locais com entidades como a CUT, MST e outros movimentos regionais; 
  • Apoiar a realização de planejamentos mínimos de curto e médio prazos com ações políticas, atividades com filiados e financeiras;
  • Resolver as pendências jurídicas e de organização como prestação de contas financeiras e cartoriais e estudar estímulos de apoio financeiro para os diretórios municipais constituídos; 
  • Renovação das Comissões Provisórias para aquelas que estão com prazos vencidos ou a vencer; 
  • Montar comissões provisórias com prioridade nos municípios onde o PT já esteve organizado, teve candidato ou campanhas proporcionias e onde tem número significativo de filiados;
  • Identificar novas lideranças já filiados entre a juventude, movimentos populares, universidades e estimulá-las a entrarem para a direção do

 

19)A Executiva Estadual juntamente com os membros do Diretório Estadual, dos coordenadores de Macros, dos dirigentes dos diretórios municipais e parlamentares, iniciará um processo de Planejamento para preparar o Partido para a disputa eleitoral de 2020, acompanhando as mudanças na legislação eleitoral.

20)A Executiva Estadual organizará uma Comissão composta de dirigentes e representantes dos mandatos estaduais e federais para acompanhar as os projetos de inciativa dos governos ou das bancadas e as emendas parlamentares que dizem respeito aos interesses os municípios para diminuir conflitos ou divergências.

21) Montará, a partir do calendário e resoluções definidos pelo Diretório Nacional, uma Comissão da Executiva Estadual com representação de todas as forças internas, para organizar o PED, o PEDex e o Congresso na sua etapa estadual.

 

 

Ler 596 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top