Em entrevista exclusiva à Revista Fórum nesta quarta-feira (11), o ex-presidente Lula da Silva (PT) foi questionado sobre como a esquerda deve fazer disputa política contra o fascismo.

Como resposta, Lula afirma que o mais importante é “não entrar no jogo” da prática fascista do governo de Jair Bolsonaro e construir uma resistência pautada na decência.

“Um miliciano não respeita ninguém. O que vale é a violência. Eu acho que não estávamos preparados pra isso, e não temos que entrar no jogo sorrateiro deles. Se a esquerda, ao tentar derrotar a prática fascista do governo Bolsonaro, entrar no jogo deles, pra mim não dá mais. Pra mim só dá pra fazer política com decência”, respondeu o ex-presidente.

Lula ainda enfatizou que Bolsonaro e sua equipe de ministros agem conforme o que um específico espera deles e que, portanto, há nisso uma questão de representatividade. “Tudo o que eles fazem é estudado e tem um público certo. O fascismo é construído na base da mentira, não podemos entrar no jogo deles”, afirmou.

Por Revista Forum

Ler 186 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top