A Bancada das deputadas e deputados estaduais do Partido dos Trabalhadores exige explicações das autoridades estaduais à afronta da polícia militar de São Paulo, ao estado democrático de direito, que na tarde desta quinta- feria, 10/10, sem nenhuma justificativa reteve por mais de uma hora a vereadora petista Juliana Cardoso, quando estava num veículo com familiares de Preta Ferreira e Sidney, líderes de movimentos de moradia que seriam libertados após terem obtido habeas corpus, concedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

A vereadora e os familiares dos líderes sociais sofreram abordagem policial truculenta, intimidatória com armas em punho e cercados por seis viaturas.

Mesmo após a vereadora ter se identificado, os PMs exigiram que ela se dirigisse à parede com as mãos na cabeça.
Vale ressaltar, que nenhuma das lideranças detidas em junho deste ano tem relação com a ocupação do Wilton Paes, que desabou em maio de 2018.

A denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual, com base no inquérito policial, aponta o recebimento de uma carta anônima como motivação inicial da investigação.

Nós, deputadas e deputados não aceitaremos ações arbitrárias de policiais que se inspiram nos impropérios do governador João Dória que em diversas ocasiões atacou e criminalizou os movimentos sociais.

Teonílio Barba Lula
Líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Ler 265 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top