Parlamentares estaduais, sindicatos, movimentos e entidades promoverão ato contra a proposta de Reforma da Previdência enviada ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro. O ato será no próximo dia 25 de abril, a partir das 09h30, na Assembleia Legislativa.

A iniciativa é do mandato da deputada Beth Sahão (PT), que coordenará a Frente Parlamentar Em Defesa das Aposentadorias nesta legislatura.

A ideia, segundo Sahão, é que a frente seja um instrumento de debate sobre a PEC 6/2019, que estabelece regras rígidas e complexas para o acesso à aposentadoria. Se aprovada, a proposta impedirá a milhões de brasileiros de obter o benefício, além de reduzir da renda daqueles que vierem a se aposentar após a reforma.

"Vamos criar um espaço de resistência, para debater todos os pontos dessa reforma que dificultará a aposentadoria das trabalhadoras e dos trabalhadores, principalmente dos mais precarizados", afirma.

Segundo o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, um dos participantes do evento, o discurso do governo é parecido com aquele usado para aprovar a reforma trabalhista. “Diziam que aquela reforma era necessária para solucionar os problemas econômicos do país, mas, um ano e meio após a sua aprovação, o Brasil bate recorde de pessoas sem trabalho: mais de 13 milhões, segundo o IBGE”, explica.

A economista Juliane Furno vai debater os impactos da PEC 06 para as mulheres. Para ela, a desvinculação do salário mínimo aos Benefícios de Prestação Continuada (BPC) e o aumento de 30 para 40 anos de contribuição para o recebimento da aposentadoria integral ampliam o fosso da desigualdade entre homens e mulheres.  “O Estado, que deveria ser o guardião e zelar pelas políticas públicas que reparam as desigualdades criadas ‘no mercado’, está atuando no sentido de aprofundá-las na medida em que desconsidera as especificidades das mulheres dentro e fora do mercado de trabalho”, afirma.

Para Eduardo Fagnani, professor de Economia da Unicamp, a proposta do Ministro da Economia, Paulo Guedes, é “draconiana”. “O que estão propondo, de forma sorrateira e travestida de reforma, é a mudança do pacto social baseado na solidariedade e na ideia de seguridade social, construído depois de mais de 20 anos de luta”, resume. Fagnani aponta que será dos trabalhadores que atualmente recebem, em média, R$ 1,4 mil de aposentadoria por mês que o governo espera conseguir 80% da economia que está prevendo com a reforma.

Serviço:

Ato Contra a Reforma da Previdência + Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa das Aposentadorias

Local: Auditório Paulo Kobayashi – Assembleia Legislativa de São Paulo

Data e Horário: 25 de abril, às 09h30

Entrada franca

 

-- 

Renato Ponzio Scardoelli

Assessor de comunicação 

Gabinete Dep. Beth Sahão (PT-SP)

11 9 88391991

Ler 113 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Últimas Notícias

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top